Notícias

Crônica da Semana: “Os desenhos da maternidade” – por Kátia Muniz

downloadOs desenhos da maternidade

Por: Katia Muniz                                                                              katiacronicas@gmail.com

Lucy Scott é uma ilustradora escocesa. Ela reuniu vários desenhos de sua autoria e lançou em livro.

Passarinhos, cachoeiras, sol, céu, mar, montanhas, estradas, carros. Nada disso. O que Lucy ilustrou foi o cotidiano dela mesma, depois que foi mãe.

Digamos que os desenhos retratam a rotina pós-maternidade, dando enfoque ao lado B. Aquele que ninguém ousa mencionar quando você anuncia que está grávida.

Ssssshhh! Nem um pio. Não se pode dizer a uma mãe de primeira viagem que o bebê vai querer mamar de 3 em 3 horas, que, possivelmente, ele terá cólica, que ela corre um sério risco de, ao trocar a fralda, sair toda lambuzada, que ele vai regurgitar na roupa dela, que ela vai ter olheiras que encostam nos pés, que dormir será um artigo de luxo, que ela vai perambular pela casa durante infinitas madrugadas, que o orçamento doméstico  será elevado às alturas, que um banho relaxante e demorado não lhe pertence mais.

E mesmo que, por uma distração, você chegue a mencionar algum dos itens do parágrafo anterior, as marinheiras de primeira viagem nem vão acreditar. Entrará por um ouvido e sairá pelo outro. As futuras mamães vivem em um mundo paralelo. Estão blindadas. Convenhamos, a natureza é mesmo sábia.

Lucy Scott escancara a realidade nua e crua da maternidade. Em inúmeros desenhos criativos  ela mostra, por exemplo, um passeio de carro. A mãe, na frente, dirigindo, e o bebê, aos berros, no banco de trás. Como se vê, tudo muito maternal e singelo.

Socorro! Para tudo que eu quero descer.

Outra ilustração mostra o casal detonado em um final de noite. Cada um jogado para um lado. Nem Beyoncé, cantando a dançante Single Ladies é capaz de ressuscitar um casal que tem um bebê recém-nascido em casa. Oh céus!

Socorro! Para o som DJ.

Mas, tudo passa. E com o tempo, as mães costumam esquecer os transtorninhos que a maternidade traz.

Basta o bebê escancarar aquele sorrisão banguela para elas, que todas as noites maldormidas tornam-se ínfimas.

As ilustrações de Lucy Scott são um divertimento e um prato cheio de identificações para quem vive a maternidade. Para as que ainda não adentraram o mundo das mães, não há susto que não seja superado. Portanto, fique tranquila. O livro em nada abala a procriação no planeta.